Charlie Hebdo: O polêmico humor que levou ao terror

A revista francesa Charlie Hebdo ficou conhecida no mundo por sua forma polêmica de satirizar personalidades e líderes religiosos. Tal característica resultou num atentado em Paris que matou 12 funcionários. Uma das vítimas foi o cartunista Georges Wolinski (80 anos), francês de origem tunisiana e um dos principais nomes dos quadrinhos mundiais, o mesmo inspirou grandes cartunistas brasileiros, como: Arnaldo Branco, Laerte, Angeli e  Henfil .

         A revista costumava satirizar personalidades, ideologias e representantes religiosos, como: O Papa Bento  XVI, o movimento feminista, presidentes, políticos franceses e o profeta islâmico Maomé.
Devido ao embate gerado por causa da capa com o profeta muçulmano, a Charlie Hebdo teve sua sede incendiada em 2011. Na ocasião, ninguém se feriu. Em resposta, a revista não se intimidou e continuou a provocação publicando outra capa com sátira a Maomé.

Uma das maiores polêmicas envolvendo o "Charlie Hebdo" aconteceu em 2012. Na ocasião, ele estampou, na capa de uma de suas edições, um judeu ortodoxo empurrando uma figura de turbante em uma cadeira de rodas. No decorrer das páginas, podiam ser encontradas também várias caricaturas de Maomé, incluindo algumas em que ele aparecia nu.


 
Muitos se manifestaram a favor da Liberdade de imprensa. Mas seria justo, ter essa liberdade de imprensa mesmo ferindo os princípios religiosos de outros? Deixe os seus cometários.

Confira algumas das capas mais polêmicas da revista francesa:

  








Share on Google Plus

About Venturosa Trezentos

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui a sua opinião sobre a matéria ou sobre o Blog: